notícias Kress

18/07/2018

Pílula do dia seguinte: prós e contras.


A Organização Mundial da Saúde afirma que se toda as mulheres do mundo usassem os métodos anticoncepcionais corretamente, ainda assim, cerca de 6 milhões de gestações indesejadas ocorreriam, como na própria bula alega, o método não protege 100% da gravidez.


A procura pela PDS - popularmente conhecida como pílula do dia seguinte - teve um aumento significativo por dois motivos, um deles é pela venda ser feito sem prescrição médica, o que facilita o acesso ao medicamento. O segundo motivo pelo qual a demanda aumentou foi que muitas mulheres deixaram de tomar o anticoncepcional, mesmo sem ter a intenção de engravidar, sabendo que pode apelar para a PDS, sem saber dos maus que o uso constante do remédio pode causar a saúde feminina.


Alguns profissionais da área deram opiniões sobre o uso do método.


A ginecologista Albertina Duarte Takiuti afirma que uma dose do remédio equivale a meia cartela de pílulas anticoncepcionais tradicionais, portanto o uso frequente causa confusão no organismo feminino.


Luciana Potiguara, também ginecologista, questiona a eficácia do medicamento e alerta que, mesmo tomando a pílula em 72 horas, ainda existe uma chance de 15% de falha.


Todos os profissionais entrevistados confirmam que a PDS não deve ser usada com frequência, apenas em casos de necessidade e que possam correr riscos de gravidez, e afirmam que o uso exagerado da pílula pode gerar alguns efeitos colaterais no corpo das mulheres e até em futuras gestações.

Fonte.