viva melhor

Uma atitude contra o desperdício de alimentos.


Atualmente, a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura informa que um terço de todo o alimento produzido no mundo vai para o lixo.

São números desastrosos: 1,3 bilhão de toneladas de alimentos desperdiçados por ano enquanto 800 milhões de pessoas passam fome. No Brasil, 14 milhões de pessoas não têm o que comer, mas só com o que é jogamos fora seria possível resolver a situação de 11 milhões.

Os motivos para tanto desperdício são vários e estão relacionados a diversos pontos da cadeia de produção: colheita, armazenagem, transporte, distribuição, mercado e cozinha.

Por exemplo, contabiliza-se que 22% de tudo o que foi vendido pelos produtores não chega ao seu destino. E o que sobreviver a esta aventura ainda passa pelo crivo de atacadistas, varejistas e consumidores. Nesta conta, mais 17% dos vegetais são rejeitados.

“São alimentos perfeitos do ponto de vista nutricional, mas rejeitados pela aparência”, nota Valéria Paschoal, nutricionista e embaixadora do Stop Food Waste Day no Brasil.

“Independentemente de classe social, valorizamos demais a fartura à mesa e temos aversão ao consumo de restos”, analisa Helio Mattar, diretor-presidente do Instituto Akatu.

Buscando criar ações e soluções efetivas para este cenário, nasceu o movimento internacional Stop Food Waste, e diversas iniciativas têm despontado em todos os cantos do mundo. Nas ruas da Lapa, no Rio de Janeiro, por exemplo, o Reffeitorio Gastromotiva atende pessoas em situações de risco, oferecendo um cardápio gourmet apenas com alimentos reaproveitados sob os cuidados de chefs renomados. O ambiente também funciona como uma escola.

Mas a ideia principal é a de que todos podem fazer algo para reverter este cenário.

Confira estas dicas básicas e tome uma atitude você também:

- Planeje-se: pense no cardápio da semana e compre o necessário para isto sem acúmulos.

- Foque: no mercado, pegue primeiro alimentos não perecíveis e deixe para o final os que pedem refrigeração.

- Compre pouco: é preferível repor, se faltar, do que jogar fora frutas e verduras estragadas.

- Aprenda: diferencia um alimento com “defeitinhos” dos que estão realmente estragados.

- Organize-se: na despensa, posicione na frente produtos mais próximos do vencimento.

- Congele: se perceber que não vai usar frutas e afins a tempo, congele para outro momento.

- Recupere: folhas murchas podem voltar a um bom estado com imersão em água com gelo.

- Crie: vegetais mais maduros ou não tão bonitos podem virar geléia, sopa, compota, molho.

Fonte.